quarta-feira, 10 de junho de 2009

310 Buddha Eremita

310
“Nenhum trono na terra...etc.” - O Mestre contou esta história enquanto residia em Jetavana , sobre um irmão relapso, que em suas rondas em Savatthi por ofertas viu uma bela mulher : e daí ficou descontente e perdeu todo prazer na Lei. Assim os Irmãos o trouxeram para diante do Abençoado. Bento disse, “É verdade, Irmão, o quê ouvi, que estais descontente?” Ele confessou que sim. O Mestre ouvindo a causa do descontentamento falou,” Por quê, Irmão, desejas o mundo, depois de tomar ordens em uma religião que leva à Salvação ? Sábios antigos quando a eles ofertada a dignidade de capelão real rejeitaram, e adotaram a vida ascética.” E contou a eles uma história dos tempos antigos.
________________

Certa vez quando Bramadatra reinava em Benares, o Buda foi concebido no útero da esposa brahmin do capelão real, e nasceu no mesmo dia que o filho do rei. Quando o rei perguntou a seus ministros se alguma criança nascera no mesmo dia que seu filho, eles disseram, “Sim, Senhor, o filho do sacerdote da família real.” Então o rei fez com que o trouxessem, fosse colocado a cargo de nutrizes e cuidado junto com o jovem príncipe. E ambos vestiam os mesmos ornamentos e comiam e bebiam exatamente as mesmas coisas. E quando estavam crescidos foram juntos estudar em Takkasilā (Taxila) e logo que atingiram proficiência em todas as ciências voltaram para casa.
O rei fez seu filho vice-rei e concedeu a ele grande honra. Naquele tempo o Bodhisatva comia, bebia e vivia com o príncipe e havia uma grande amizade entre eles. Logo, com a morte do pai, o jovem príncipe ascendeu ao trono e gozava de grande prosperidade. Pensou o Bodhisatva : “ Meu amigo agora governa o reino ; quando ele encontrar oportunidade, ele certamente me dará o ofício de capelão real. O quê eu tenho a ver com vida de pai de família ? Torna-me-ei asceta e me devotarei à solidão.”
Assim ele saudou seus pais e tendo pedido a permissão deles para tomar ordens, abriu mão de sua fortuna mundana e partindo totalmente sozinho entrou no país do Himalaia. Lá em um lugar encantador, ele construiu para si um eremitério e adotando a vida religiosa de um anacoreta ele desenvolveu todas as Faculdades e as Consecuções e vivia no gozo do prazer da vida mística.
Em determinado momento o rei lembrou dele e disse, “O que aconteceu com meu amigo ? Não o vejo em lugar algum.” Seus ministros contam que ele tomara ordens e vivia, eles souberam, em algum bosque aprazível. O rei perguntou o lugar da residência dele e disse a seu conselheiro chamado Sayha, “Vá e traga meu amigo de volta contigo. Farei dele meu capelão.” Sayha prontamente assentiu e partindo de Benares no curso de tempo devido alcançou uma vila na fronteira e fixando residência lá, foi com alguns mateiros até o lugar onde o Bodhisatva morava e o encontrou sentado como uma estátua dourada na porta da sua cabana. Após saudá-lo com os cumprimentos costumeiros, sentou a uma distância respeitosa e assim se dirigiu a ele : “Reverendo Senhor, o rei deseja teu retorno, estando ansioso em elevá-lo a dignidade de sacerdote da família real.” O Bodhisatva respondeu, “S'eu fosse receber não apenas o posto de capelão mas toda Kasi e Kosala e o reino da Índia e a glória de um Império Universal, ainda assim recusaria ir. Os sábios não tomam de volta os pecados que abandonaram, não tanto quanto não engolem a fleuma /flegma que já lançaram.” Assim falando ele repetiu estas estrofes :-

Nenhum trono na terra me tentará para me envergonhar,
Nenhum reino à beira mar, guardado profundamente ;
Amaldiçoo a luxúria da riqueza e da fama
Que condena o pobre ser humano a chorar em “Mundos de Sofrimento”.

Melhor pela terra um vagabundo sem lar a extraviar-se
E tigela na mão a pedir de porta em porta,
Do que como rei, presa de luxúrias pecaminosas,
Suportar lei tirânica e avexar o povo.

Assim o Bodhisatva apesar de novamente oportunado por ele, rejeitou a oferta. E Saya sendo incapaz de convencê-lo, saudou-o e retornou e contou ao rei a recusa dele em voltar.
__________________

Quando o Mestre terminou sua lição, ele revelou as Verdades e identificou o Jataka :- Na conclusão das Verdades o Irmão relapso atingiu a fruição do Primeiro Caminho. Muitos outros também experienciaram fruições semelhantes de Conversão :- “Naquele tempo Ananda era o rei, Sariputra era Sayha e eu mesmo era o sacerdote da família.”

Nenhum comentário: