sexta-feira, 22 de maio de 2009

297 Ó pássaro que voas...etc.

297
“Ó pássaro, que voas...etc.” - Esta história o Mestre contou em Jetavana sobre um homem que se lamentava por sua esposa . As circunstâncias que provocaram a situação estão explicadas no Jataka 147 acima, assim como a história do passado.
_________________

Assim o homem estava impalado vivo. Lá pendurado, olhou para cima e viu um corvo voando pelos ares ; e, sem se importar com a dor aguda, ele chamou o corvo, para que ele enviasse uma mensagem a sua querida esposa, repetindo os seguintes versos :-

Ó pássaro, que voas no céu !
Pássaro de asas que voa alto !
Diga a minha esposa, de belas pernas :
Longo será o tempo para ela.

Ela não sabe que a espada e a lança estão levantadas:
Cheia de ira e raiva ela se afligirá.
Este é o meu tormento e medo,
E não, estar aqui pendurado.

De minha mulher de lótus afastei-me,
E jóias em meu travesseiro descansam,
Com tecido macio de Benares do lado.
Que com bens ela se satisfaça.

Com estas lamentações ele morreu.
________________

Quando o Mestre terminou este discurso, declarou as Verdades e identificou o Jataka (e na conclusão das Verdades, o irmão apaixonado atingiu a fruição do Primeiro Caminho ) : “A esposa de então era a esposa de agora ; mas o espírito que presenciou isto, era eu mesmo.”

Nenhum comentário: