sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Outra Yakshi que fala

Buddha certa vez estava próximo de Savatthi em Jeta Vana, no Parque de Anatha pindika. E nesta ocasião instruía, iluminando, incitando e inspirando os irmãos com um sermão sobre Nirvana. E os irmãos com todas suas mentes aplicadas, atentas e intentas, escutavam com raptos ouvidos à Norma. ( A hora de acordo com a Glosa era no crepúsculo ; o Mestre depois de jantar prega à assembléia geral, e depois foi ao banheiro e depois sentou no assento de Buddha na cela do Oitanada Fragrante, episcopando a vista leste. Então certos irmãos ascetas, em vestes esfarrapadas, mendicantes, que haviam viajados em solidão, em pares, ou em outros números, vieram de seus quartos e saudando, dispuseram-se ao redor do Professor como o vermelho envolve um jóia redonda. Ele discernindo o desejo deles, discursou.)

Então uma yakshi, conhecida como mãe de Punabbasu, silenciou suas crianças ( uma no colo outra segura na mão ) assim :-

Silêncio, pequena Uttara. Quieto,
Punabbasu, para que escutemos a Norma
Ensinada pelo Mestre, o homem mais sábio.
'Nirvana,' diz o Buddha,
' Livramento é de todo laço' ;
E por esta verdade meu amor engrandece-se.
Caros são nossos filhos e caros
Os maridos ; mais caro ainda para mim
É desta Doutrina explorar o Caminho.
Pois nem criança nem marido, apesar
De queridos, podem nos salvar de todo mal,
Como pode o escutar a Norma abençoada
Da dor e do sofrer, livrar uma criatura.
E dos sofrimentos que seguem nesta vida,
Ligado como estão a idade, decaimento e morte.
Nesta Norma em que Ele encontra iluminação
Em como pode haver livramento da idade e da morte :-
Esta é a doutrina que anseio em escutar,
Portanto, Punabbasu, meu filho, fica quieto.

[ Punabbasu respondeu :-]

Mãe, não direi palavra, e veja,
Quieta também está Uttara. Portanto escute,
Pois doce é escutar a Norma.
Porque não aprendemos a Norma abençoada,
Mãe, vamos sofrendo aqui e agora.
Para deuses e pessoas todos em perplexa confusão
Este é o que ilumina :- que Ele,
O Buddha em seu último corpo nascido,
O Homem que Vê deve ensinar a Norma as pessoas.

[ A Mãe :- ]

Benditas palavras ! E sábio o filho que tenho
E nutrido em meu seio, pois agora este filho
Ama a pura Norma ensinada pelo Homem mais Sábio.
Ó, que possas ser feliz, Punabbasu !
Pois agora estou elevada da roda
Da vida renovada. Vemos as Verdades Humanas.
Tu também, minha Uttara ! Me escute.

( Samyutta Nikaya X, 7 )

Nenhum comentário: