sexta-feira, 13 de agosto de 2010

414 Buddha e a Yakshi

414
“Quem é que acorda...etc.” - O Mestre contou este conto(a) enquanto residia em Jetavana, relativo a certo irmão-leigo. Era um discípulo que entrou no Primeiro Caminho. Ele partiu por uma estrada na floresta de Savatthi em uma caravana de carros. Em um certo lugar agradável com fonte d'água o líder da caravana desatrelou, desarreiou, os quinhentos carros, carroças e preparando comida, mole e dura, lá fez pousada. Os homens deitaram aqui e lá para dormir. O irmão leigo praticou perambulação ao redor da raiz d'árvore próxima ao líder da caravana. Quinhentos ladrões planejavam assaltar a caravana : com armas variadas nas mãos a cercaram e esperaram. Vendo o irmão leigo em seu perambular, esperavam de pé para começar o saque quando ele fosse deitar. Ele permanecer perambulando e andando por toda a noite. Àurora os ladrões jogaram fora paus e pedras e outras armas que pegaram : sairam dizendo, “Mestre líder da caravana, tens o que te pertence porque foste vivificado devido a este homem que ficou acordado diligentemente : deves honrá-lo.” Os homens da caravana logo levantando-se viram as pedras e paus e outras coisas atiradas fora pelos ladrões e louvaram o irmão leigo, reconhecendo que deviam a vida a ele. O irmão leigo foi para seu destino e fez o seu negócio : depois voltou para Savatthi e dirigiu-se a Jetavana : lá saudou e fez homenagem ao Tathāgata e sentado aos pés dele e com o convite dele para que falasse, ele contou o que ocorrera. O Mestre disse, “Irmão leigo, não apenas você ganhou mérito especial por vigiar e guardar (waking and watching), sábios antigos fizeram o mesmo.” E assim com o pedido do irmão leigo, ele contou uma velha história.
____________________

Certa vez quando Brahmadatra reinava em Benares, o Bodhisatva nasceu em uma família brahmin. Quando ele cresceu, aprendeu todas as artes em Takkasila ( Taxila ) e retornando vivia como dono de casa. Depois de um tempo ele deixou sua casa e tornou-se um asceta : logo alcançou a Faculdade da Meditação [ N. do tr.: Samadhi é Meditação – Yama, Nyama, Asana, Pranayama, Pratyahara, Dharana, Dhyana e Samadhi. Estas são as Faculdades.Yama e Nyama são os 5 + 5 Mandamentos ; Asana e Pranayama todo mundo sabe o que é porque aprendeu na Hatha Yoga ; Pratyahara uma espécie de confissão, restrição, contenção ; Dharana é a fixação da atenção ; Dhyana é Contemplação.] e vivendo na terra do Himalaia nas posturas em pé e andando apenas, perambulava toda a noite sem dormir. Uma espírita (espírito fêmea) que vivia numa árvore ( Yakshi, feminino de Yaksha ), no final do seu lugar de caminhada, ficou agraciada com ele e falou a primeira estrofe, fazendo uma pergunta a ele a partir de um buraco no tronco : -

Quem é que acorda quando outros dormem e dorme quando outros acordam ?
Quem é que pode entender minha charada, quem a isto pode responder ?

O Bodhisatva, escutando a voz da yaksha, falou esta estrofe :-

Sou aquele que vigia enquanto outros dormem e dorme quando outros vigiam.
Sou quem pode responder tua charada e a ti responder.

A espírita fez novamente outra pergunta em outra estrofe :-

Como é que tu vigias enquanto outros dormem e dormes enquanto outros vigiam ?
Como é que lês minha charada, como a isto respondes ?

Ele explicou a questão :-

Algumas pessoas esquecem que virtude é sobriedade severa,
Quando tais dormem, eu estou acordado, Ó espírito d'árvore.

Paixão e vício e ignorância em alguns cessaram de ser ;
Quando tais vigiam então eu durmo, Ó espírito d'árvore.

Então, vigio enquanto outros dormem e durmo enquanto outros vigiam ;
Assim leio tua charada e a ti respondo.

Quando o Grande Ser deu esta resposta, a yakshi, ficou agraciada e falou a última estrofe em louvor dele :-

Bom você vigiar enquanto outros dormem e dormir enquanto outros vigiam ;
Bom você ler minha charada, boa a resposta que deste.

E assim louvando o Bodhisatva, a yakshi entrou em seu domicílio n'árvore.
_______________

Após a lição, o Mestre identificou o Jataka : “Naquele tempo, o espírito d'árvore era Uppalavanna, o asceta era eu mesmo.”

Nenhum comentário: